Oficina de Hortas Bio-Intensivas

No âmbito das atividades do Março APartir edição de 2018, o Projecto 270 em cooperação com a Mushmore Coop, dinamiza no fim de semana de 17 e 18 de Março, um curso de Horticultura e Cultivo de Cogumelos, com o objectivo de proporcionar aos jovens que participem, numa aprendizagem e vivência do que é necessário concretizar na elaboração de um projeto coletivo, baseado no seu desejo, visão e contribuição para um bem comum.

A oficina, tem o limite de 15 inscrições, tem a duração de dois dias a ter inicio Sábado, dia 17 ás 10:00 e a terminar Domingo ás 16:00. Incentivamos ao Almoço partilhado, de forma a mantermos a partilha de experiências.

A participação é gratuita, mas pedimos que validem a vossa inscrição através da transferência do valor de 10€ para o NIB: 004554524027573408493

Informações e inscrição para o e-mail

projecto270@gmail.com ou através do contacto 918 915 761

Hoje, graças à ciência, sabemos que a função de fertilização do solo atravessa plantas, animais, fungos, bactérias e protozoas. É possível obter melhores resultados que nos sistemas convencionais, através da recriação dos ecossistemas, com plantios biodiversos que debitam azoto e carbono através da acção e interligação por uma rede neural de fungos simbióticos.
Por outro lado, a necessidade de podas e a produção de enormes quantidades de biomassa também em folhagens, geram uma oportunidade de fertilização pela acção decompositora de cogumelos alimentares e com valor medicinal.
O equilíbrio chega finalmente com a acção dos animais, do ganso às abelhas, que tornam totalmente obsoleta e desnecessária a aplicação e os custos com herbicidas, pesticidas e fertilizantes.

Formadores

João Oliveira é Técnico de Laboratório de Micologia e Formador. Também é consultor na área de gestão florestal, regeneração ecológica e produção alimentar na reconversão produtiva de monoculturas.
Do hortim à floresta, do bisturi à motosserra, do autoclave ao triturador, este é um formador que conhece todos os processos na produção de cogumelos e na regeneração e reconversão de monoculturas.
De momento tem dedicado as suas acções de formação ao apoio de cultivadores e regeneradores, como o Nuno Belchior, uma vez que traz o conhecimento do que se passa no sub-solo e de como replicar os processos naturais de enriquecimento do solo e nutrição das plantas, através seja de fungos, de animais ou de máquinas de equipamento, que aceleram estes processos em dezenas de anos.

 

Nuno Belchior, Em 2003 transforma a sua vida mudando-se para uma parcela agrícola nas Terras da Costa da Caparica, é nas areias dunares que germina o Projecto 270. Com a capacidade de resiliência, utiliza a recolha de resíduos orgânicos e a alimentação para criar interconexões entre a comunidade e o espaço agrícola impulsionando a soberania alimentar. A sua paixão e persistência transformam toda a parcela de areia num oásis agrícola assente em solo negro e fértil.