Relatório de Atividades 2015

Relatório de Actividades 2015

O Projecto 270 desenvolve as suas atividades desde 2003 nas Terras da Costa da Caparica enquanto grupo informal. A sua acção começou enquanto forma de interceção do mundo rural e urbano criando assim um projecto de agri cultura, utilizando o espaço agrícola para diversos finalidades de exposições de arte a produção agro ecológica de hortofruticolas. Em 2014, o Projecto 270, pela mão do seu co criador, mudou-se para o Pinhal Novo, freguesia de Palmela, para uma parcela da exploração agrícola; Quinta do BELL.

Estes anos de ação juntou várias pessoas que compuseram o grupo que tencionou a transformação de grupo informal para uma associação cultural e ambiental. A constituição da mesma aconteceu em Março de 2015, assentando nos príncipios da Soberania Alimentar, Agro Ecologia e Aprendizagem Integral com o objectivos gerais Possibilitar um ponto de perceção para a importância das ligações éticas entre indivíduos e o meio ambiente, fomentando uma participação ativa e comunitária para a resolução de problemas ecológicos e sociais, procurando alternativas tecnológicas de baixo impacto social e ambiental e a dinamização de projetos em rede com parceiros locais, regionais, nacionais, internacionais e intergalácticos.

De forma a alcançar este objectivo, trabalhámos os temas: Soberania Alimentar, Cidadania ativa e participativa, Agricultura regenerativa, Sem Químicos Sintéticos nem Transgénicos, Sementes de variedades naturais, Vermicompostagem, Solo, Circuitos Curtos, Pegada Alimentar; e trabalhamos parcerias.
Nesta sequência o ano de 2015 teve como base a consolidação da constituição da Associação em termos de grupo, parceiros e exploração da nova área de localização em termos de relações com a autarquia Local e outras entidades públicas ou privadas.
Este documento faz a compilação das ações feitas para alcançar esta consolidação e preparar o caminho para o desenvolvimento de atividades de 2016.

Iniciamos o ano com a campanha de apadrinhamento de árvores intuindo construir uma paisagem, assente na premissa “a agricultura marcou um cunho na paisagem”, o projecto “Construir uma paisagem” é um método de interligar as pessoas com o espaço agrícola através da plantação e conhecimento sobre a árvore de fruto apadrinhada.

Em parceria com a Campanha pelas Sementes Livres, em Março foi executada uma candidatura para Formação não Formal ao programa Eramus +. Que tinha por base criar ferramentas de aprendizagem técnicas de agricultura regenerativa e preservação de sementes.
Em Junho de 2015 acontece o acampamento pelas Sementes Livres, resultante de um trabalho iniciado em 2014 em parceria com a Campanha pelas Sementes Livres, Esta actividade teve como objectivo geral capacitar as pessoas que se interessam pelas questões da soberania alimentar e da semente, para os debates, iniciativas, boas práticas e acções que visam defender a agricultura solidária, a agro-ecologia e o livre acesso aos recursos naturais comuns. O Acampamento teve lugar no espaço agrícola, Quinta do BELL, e nos equipamentos municipais da Freguesia de Pinhal Novo.
Também em Junho marcamos presença no corso do Festival Internacional de Gigantones ( FIG) com um MinhoCotone, Gigantone contruído com embalagens de “produtos alimentares” recicladas de uma empresa local.
Utilizando a alimentação como forma demonstrativa confeccionamos refeições em espaço público utilizando alimentos provenientes de uma agricultura Sem Químicos Sintéticos nem Transgénicos, e de circuitos curtos promovendo não só uma pegada alimentar reduzida mas também o espaço agrícolas fornecedores de hortofruticolas, nesta base realizamos as seguintes atividades:
  • Enquadrado no Acampamento pelas Sementes Livres, servimos um almoço no Mercado Municipal de Pinhal Novo:
  • Participamos no Festival FATT, organizado pela APD (Associação Portuguesa de Didgeridoo ) a partir do qual foi possível angariar o valor necessário para a abertura de conta bancária;
  • Participamos na Feira Medieval de Palmela
  • Confeccionamos o Almoço do encontro “Encontros pela Soberania Alimentar” promovido pelo CIDAC (Centro Intervenção para o Desenvolvimento Amílcar Cabral)
  • Mercado de agricultura Biológica
Para que consigamos ir ao encontro das pessoas criamos estruturas de proximidade com as comunidades de modo a incentivar o diálogo e debates relativos às temáticas propostas, assentes nesta premissa realizámos as seguintes ações:Debates e Intervenções

  • 18 de Abril — Concentração contra o TTIP, Lisboa;
  • 02 de Maio — Tertúlia “Ecologia Sustentável”, Alcácer do Sal;
  • 26 de Maio — PAN p´ra mangas: Cidadania Alimentar,  Lisboa;
  • 06 de Junho — Conferência BioCapitalismo vs Soberania Alimentar, Pinhal Novo;
  • 17 de Outubro –TTIP Soberania Alimentar, trabalho e economia — Pinhal Novo;
  • 29 de Novembro — 1º Encontro Nacional AMAP (Associações para a Manutenção da Agricultura de Proximidade), Serralves Porto;
Bancas de Informação
  • FIG (Festival Internacional Gigantones), Pinhal Novo;
  • FATT, Estômbar – Lagoa;
  • Feira Medieval de Palmela;
  • Mercado de Agricultura Biológica, Pinhal Novo;
  • BioFesta, Moita;
FormaAções
Da aglutinação das palavras Formação e Acção, surge a FormaAcção oficinas de capacitação não formal sobre os temas referidos possibilitando experiênciar uma maneira mais integral e cooperativa com todo o meio envolvente.
  • Permacultura;
  • Solo;
  • Alimentação;
Mercado de Agricultura Biológica no Pinhal Novo

Decorrente da proposta feita em Setembro de 2014 à Junta de Freguesia de Pinhal Novo para a criação de um Mercado de Agricultura Biológica, ainda enquanto grupo informal, em Outubro de 2015, a Autarquia de Palmela aceitou a proposta.
A associação Projecto 270 esteve presente nos dias 17, 24, 31 de outubro e 7 de novembro sob o tema “Celebrar a alimentação, celebrar a paisagem”.

Com o intuito de conhecer outras realidades, consolidar conhecimento, estabelecer parcerias participámos em visitas/encontros:
  • 9 de setembro,  Experiência de organização de pequenos produtores locais para fornecimento de entidades locais de grande consumo, como cantinas escolares e IPSS’s, organizado pelo CIDAC;
  • 13, 20 e 27 de outubro participação no Círculo de Leitura “Não há alternativa à Soberania Alimentar”;
  • 24 de Novembro de 2015 CATALISE
Tendo sido considerado o ano internacional do Solo, o projecto270 assente na sua experiência em agricultura regenerativa como combate às consequências das alterações climáticas e aliado à vontade do município em ser uma zona livre de OGM (Organismos Geneticamente Modificados) estabeleceu contacto com a autarquia para pedir que fossem disposto resíduos verdes na exploração agrícola para compostagem. Este mesmo pedido foi aceite contudo o mesmo aguarda luz verde. Pretende-se com este pedido analisar os resultados e concluir se o processo poderá ser replicado.

As much as possible, choose www.celltrackingapps.com/how-to-block-adult-content-on-android an app that does not require added payment for every feature they offer

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comments Protected by WP-SpamShield Spam Filter